Parceria ESPM Media Lab e DocuBase MIT

A história é sobre a reunião de dados e momentos – há câmeras de vigilância em todas as cidades, e tudo, na verdade, tem a ver com a gente”.

Jeremy Mendes, co-autor, extraído do Submarine Channel

Bear 71, do National Film Board do Canadá, é um documentário em primeira pessoa centrado em uma ursa parda, portadora de um chip de monitoramento (um tag) e rastreada no parque nacional de Banff, no Canadá. Narrado do ponto de vista da ursa pela atriz canadense Mia Kirschner, Bear 71 conta a sua vida desde o momento em que é tageada por guardas florestais do parque até sua morte. Lutando para descobrir “onde o mundo com fios termina e onde o mundo selvagem começa”, a ursa vê sua existência ameaçada pela invasão da civilização, com suas ferrovias, fios de redes elétricas e cidades cada vez maiores.

A interface interativa de Bear 71 mostra o parque de Banff como seria se fosse criado pelo Big Brother. Pontos ambulantes representam animais tageados, como a ursa de número 71, enquanto passeiam pela paisagem supostamente selvagem, mas nunca livre do olhar atento dos guardas do parque. Usuários do Bear 71 também são monitorados, porém através de sua webcam e identificados com um número assim como os animais (por exemplo, Humano 1806291). Vídeos ao vido de webcam dos visitantes humanos é mesclado com vídeos de vigilância reais dos animais de Banff, acumulados durante 11 anos de filmagens no parque pela Leanne Allison, co-criadora de Bear 71.

Bear 71 estreou como uma instalação interativa na exposição New Frontier do Sundance Film Festival na categoria de obra inovadora e emergente. Visitantes puderam interagir em tempo real com uma versão maior do documentário web usando iPads para representar marcadores de trilha específicos.

SAIBA MAIS

Docubase: Bear 71