Na teoria, os direitos de um filme podem ser tão lucrativos para que um pequeno número de reportagens de sucesso banquem o resto todo do processo de apuração, transformando o jornalismo num negócio gerador de blockbusters.

Sean Hollister

Um modelo de negócio para o jornalismo que ainda não tinha sido inventado: escrever histórias tão incríveis de uma maneira tão cinematográfica que elas já são vendidas como roteiro para Hollywood. Dois jornalistas, um deles editor da Wired há 10 anos, e outro que já esteve preso em três continentes, procuram pelo mundo histórias reais fantásticas no site Epic True Stories. Argo é uma delas que mais tarde virou filme. Escrevem usando a plataforma Medium, textos longos, numa narrativa envolvente. Não se trata mais de jornalismo literário, mas jornalismo cinematográfico mesmo.

argo_frontArgo, uma das histórias já publicadas, foi o filme que venceu o Oscar de melhor filme em 2013, por exemplo.

Por enquanto, as histórias estão abertas, gratuitas, publicadas no Medium, que é tanto parceiro quanto apoiador da Epic Magazine. Leia aqui.

SAIBA MAIS

Um site épico

Do jornalismo na web direto para Hollywood

Longform journalism