Geo-jornalismo que utiliza diversas bases de dados e satélites para criar mapas contextualizados, inovadores, com gráficos, reportagens e informação independente – dados do governo são frequentemente contestados, mostrados lado a lado com outras fontes. Um dos destaques é o mapa de calor da Amazônia, com incêndios em tempo real, atualizados de hora em hora. Gustavo Faleiros, um dos criadores, explica que os mapas e as bases de dados são parte integrante da narrativa. Para além dos mapas, estão desenvolvendo um sistema de baixo-custo para analisar qualidade da água que poderá beneficiar populações inteiras no norte do país, e com isso foram premiados no Desafio de Impacto Social do Google.

O InfoAmazônia inverte a lógica da produção da notícia ao conceber estes sistemas de geração de dados – além da análise de água, também existe um protótipo para análise do ar. Eles se tornam, assim, geradores de dados que servem ao interesse público, e a partir destes dados podem colher pautas, ou acrescentar histórias, ou ainda cruzar com diversas outras bases de dados.

Desenvolvido pelo Rede InfoAmazonia. http://infoamazonia.org

Desenvolvido pelo Rede InfoAmazonia. http://infoamazonia.org

 

“A gente suja o sapato atrás da notícia, mas usando o GPS porque é muito mais fácil”, Gustavo Faleiros.

“A iniciativa existe graças a Knight International e a Climate and Development Knowledge Network. A Development Seed, especializada em mapeamento e visualização de dados, juntou forças com ((o))eco e a Internews para desenvolver uma estratégia para o site, construí-lo e fornecer a cartografia, bem como treinar os jornalistas locais em como utilizar as ferramentas disponíveis no site.” Patricia Patriota

Telling stories along with data-rich maps, a practice we are calling geojournalism, transforms maps into a new type of blank page for journalists, which they can use to create news. Based on this belief we have recently worked together with software studios in Sao Paulo to launch a WordPress theme, called MapPress, which allows journalists to map their stories in the same way we do on InfoAmazonia. It is pretty simple and we want to see journalists choosing regions around the world that can be better reported with data and geo-tagged news. – Gustavo Faleiros

 

Porque é considerado um sucesso
InfoAmazônia foi um dos vencedores do Desafio Social do Google, e tem sido referência para jornalismo de dados e geojornalismo, áreas novas da profissão. Começou com quatro pessoas, hoje tem 13 profissionais envolvidos em diversos projetos.

Como gera recursos?
Principalmente através de doações de fundações (Entre elas, CDKN, do governo britânico e norueguês, Knight Foundation através do Centro Internacional de Jornalistas, Fundação Avina, Google.org e outros). Mas também presta serviços, sempre dentro da própria área de atuação. O primeiro trabalho foi para o Greenpeace, mas fizeram projetos para o ISA, SOS Mata Atlântica e outros.

SAIBA MAIS

Sobre reportagem de dados e o InfoAmazônia.

Um estudo de caso: InfoAmazônia.

Porque devemos falar sobre geojornalismo.

Como construímos um projeto open source para água.