Uma jornada online sobre acesso a medicamentos pelo mundo compara 14 remédios em 61 países (incluindo o Brasil) e as diferenças em cada país: quantos dias de salário mínimo são necessários para comprar este medicamento? Quais patentes foram quebradas, e onde?

A reportagem descobre, por exemplo, que a mesma pílula custa US$ 1 mil nos EUA, US$ 554 na França e US$ 320 na Espanha. Mesmo genéricos tem diferenças gritantes. “Um cidadão de um país em desenvolvimento tem que trabalhar muito mais para ter o mesmo tratamento”, conclui a investigação que usa gráficos, textos, fotos e vídeos.

Vencedor do prêmio Gabriel García Marquez 2016 de jornalismo inovador.