Parceria ESPM Media Lab e DocuBase MIT

Walsh Project retrata a história argentina e o jornalismo investigativo em tempo real.

Alvaro Liuzzi, autor.

Alvaro Liuzzi e Vanina Verghella produziram esta experiência jornalística com o objetivo de “remixar” uma obra notável e clássica do jornalismo argentino, Operación Masacre, de Rodolfo Walsh, com uma visão moderna apoiada por diversas ferramentas de publicação digital. Operación Masacre conta a história da captura e assassinato de militantes peronistas em 1956.

Em 1957, Rodolfo Walsh e sua obra Operación Masacre iniciou uma nova tendência em artigos de jornal que, posteriormente, recebera inúmeros nomes diferentes, como jornalismo literário, não-ficção, novo jornalismo etc. O livro, que redefiniu as fronteiras que separavam a prática do jornalismo e a narrativa literária ao contar a história dos tiroteios que ocorreram em 1956 em José León Suárez sob o governo do general Aramburu, é tanto um marco no seu compromisso com a investigação jornalística quanto uma queixa numa época de perseguição e assassinatos políticos. Walsh lançou seu livro anos antes de Truman Capote ou Gay Talese, outros marcos do jornalismo literário.

Cinco décadas depois, dois jornalistas e acadêmicos fizeram uma homenagem e reconstrução da investigação de Walsh usando ferramentas digitais. O projeto durou um ano, publicando arquivos multimídia com informações atuais e transformando a peça jornalística – Operación Masacre – em um novo tipo de projeto que mistura realidade e ficção.

A ideia baseou-se em recriar, durante o último ano de vida do jornalista (que foi ele próprio “desaparecido” pela ditadura), cada dia, como se ele tivesse acesso às redes sociais, como Twitter. Todos os dias ele, portanto, escrevia sobre assuntos que estava investigando ou comentava notícias do dia (de 50 anos atrás).