Depois do sucesso do Filosofighters, o jogo que coloca filósofos como Nietszche, Sartre ou Santo Agostinho para debaterem ideias com os punhos, a Superinteressante lançou outro game de briga que já nasce clássico. Usando gráficos em 8 bits – como aqueles videogames antigos – agora você escolhe cientistas para irem à luta. Tesla, Einstein, Darwin, Marie Curie, Newton ou Stephen Hawkin, Newton ou Pitágoras estão disponíveis, com super golpes relacionados à sua área de pesquisa, para encherem os adversários de argumentos duros.

sciencekombat

O Science Kombat é uma espécie de continuação do Filosofighters, jogo criado em 2011 para o site da Super. O Filosofighters era um game de luta que reunia 9 dos maiores pensadores da história numa batalha. A ideia era transformar as máximas e teorias de cada filósofo em seu “especial”. Nietzsche tinha o poder “Deus está morto” e o Marx o “Proletariado do mundo todo uni-vos”. Viralizou e acabou ganhando o mundo com resenhas e elogios no Inglaterra, França, Argentina, Alemanha e EUA.

Para o lançamento foi pensada uma estratégia transmídia que incluía – além do game – um teaser no Youtube, perfis de todos filósofos no Twitter, um tumblr com frases de cada um e um infográfico de duas páginas na revista.

No caso do Science Kombat, uma curiosidade é que o game demoraria mais a ser lançado, mas foi publicado quando imagens dos personagens vazaram na rede e viralizaram. A publicação se viu então obrigada a lançar o jogo antes que alguém usasse as imagens para fazer seu próprio game.

Empolgados com esse sucesso [Filosofighters] e com o poder universal dos games (afinal um jogo brasileiro estava rodando o mundo), começamos a pensar num newsgame de luta com cientistas, em 2012. Como a Super sempre cobriu ciência parecia uma escolha até mais natural do que um jogo com filósofos. Eu e o Otavio Cohen criamos o conceito conversando com o resto do time (originalmente ia ser um jogo “Ciência vs Religião”, mas achamos muito polêmico) e em 2013 resolvemos fazer o jogo. Como eu pedi demissão da Abril neste ano, só voltamos a trabalhar nisso quando eu voltei no final de 2014. A ideia era reunir 8 cientistas que mudaram o mundo, com cenários que fossem importantes para sua história (a Ilha Galápagos no caso de Darwin, por exemplo) e “especiais” que explicassem/resumissem suas principais teorias (teoria da gravidade do Newton, buraco de minhoca do Hawking, etc). Para a parte “científica” da coisa, contamos com a ajuda da Karin Hueck, editora da Superinteressante que nos ajudou a selecionar os cientistas mais relevantes e os cenários mais fundamentais.Tudo com som e visual de games old school. (A trilha sonora da Juliana Aparecida está bem massa). Pro chefão, pensamos em Deus, que seria uma espécie de Shang Tsung do Mortal Kombat. Originalmente uma mulher (pra quebrar o clichê do homem de barba branca), ele se transformaria em diversas divindades. Achamos que seria uma boa metáfora para a luta da ciência contra a superstição.
Fred Di Giacomo, produtor executivo

SAIBA MAIS

Veja as artes do game, de Diego Sanches